quarta-feira, 8 de janeiro de 2014

[MÚSICA DA SEMANA] Unwritten - Natasha Bedingfield


 Ano novo, vida nova!

A música da semana foi uma das escolhas mais fáceis que já tive que fazer nessa coluna, simplesmente por achar que nenhuma outra música combina tanto com a época de Ano Novo como “Unwritten”. Ano Novo é aquela época em que todo mundo faz novos planos, anseia para que as coisas mudem e que a vida seja bem melhor do que o ano que passou, mas na real, todos nós sabemos que friamente não significa nada mais que uma folha virada no calendário.

Bom, na verdade, pode até ser assim, mas só se você quiser que seja. O réveillon realmente não representa nenhuma data mística do calendário, que fará com que os erros do passado e tudo o que deu errado simplesmente desapareça dando espaço para uma vida milimetricamente feliz. Mas internamente, ele representa uma época em que temos a vontade de fazer tudo diferente e muitas vezes se fizermos, o ano novo pode sim representar uma vida nova. Internamente, mesmo que de forma utópica, temos nossas esperanças renovadas e só depende de nós fazermos que a data represente realmente um marco, uma mudança de atitude e uma tentativa bem sucedida de fazermos as coisas diferentes, ou apenas mais uma página na nossa folhinha.

E é exatamente disso que Unwitten fala. Não, Natasha Bedingfield não canta sobre a festa de réveillon e as tradicionais resoluções de ano novo que estamos acostumados a fazer ano após ano. Na verdade, ela canta sobre uma coisa muito maior do que isso. Unwritten prega que mesmo que alguns de nós tenhamos vivido muito, nossas vidas ainda estão com o seu final ou o seu meio por escrever.  Todos os dias nos levantamos e temos a chance de escrever sobre as páginas em branco da nossa vida.  O que passou, já foi escrito. Não pode ser mudado por mais que nós possamos querer. Porém, se iremos continuar no mesmo ciclo vicioso ou dar uma guinada para viver mais intensamente, fazer uma carreira de sucesso ou simplesmente ser feliz, será a conclusão dos nossos próprios atos. “Unwritten” não tem uma tradução exata no português, mas basicamente, como citei acima, é algo que ainda não foi escrito. Nossas vidas ainda não estão definidas, e mais do que isso, nós ainda não estamos definidos, então basta aproveitarmos cada segundo para escrevermos ela da melhor forma possível e saber que não precisamos esperar até um ano novo para termos uma vida nova.

A construção da música é bem simples e é o tipo de pop que não se vê muito hoje em dia. É aquele pop puro de que a gente sente falta, completamente ausente de influências eletrônicas, roupas escandalosas e performances provocadoras. Tudo se resume a letra inspiradora e a melodia simples da canção, que em sumas, é só do que uma boa música precisa. Então apreciem a canção e confiram a letra e a tradução clicando AQUI. Ah, e claro, como ainda estamos basicamente na primeira semana útil do mês, não é tarde para desejar a vocês, caros leitores um....


           \o/ \o/ \o/ FELIZ 2014! \o/ \o/ \o/ 


7 comentários:

  1. "É aquele pop puro de que a gente sente falta, completamente ausente de influências eletrônicas, roupas escandalosas e performances provocadoras." Filhote Jean tirando as palavras da minha boca. Sinto muita falta mesmo daquele pop despretensioso, mas com conteúdo, e que sempre deixava um sorriso no rosto. Unwritten tem uma das letras mais legais que já vi, que empolga, que me dá vontade de realmente fazer algo, tomar as rédeas da minha vida. É uma música inspiradora. Adorei a escolha, super combinou com a ocasião.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Pois é, Fer! Sinto muita falta da simplicidade que a música pop tinha e que a gente praticamente não vê hoje em dia. Como tudo o que já foi tendência acaba voltando, fico na espera de que esse tipo de música volte a tomar conta das rádios um dia....

      Excluir
    2. Seria tãoooo legal! O engraçado é que as músicas country de hoje estão mais parecidas com esse pop antigo, do que o próprio pop atual. Acho que foi por isso que eu me apaixonei tanto. :P

      Excluir
    3. Putz, Fer! Acredita que eu estava para comentar a mesma coisa? kkkk

      O que mais se assemelha a esse pop hoje em dia é a música country. o single da Lucy Hale tá aí pra provar!

      Excluir
  2. O ano não poderia começar melhor. Não conhecia essa canção, mas a vontade que tive ao ouvi-la era jogar tudo para alto e começar tudo de novo. A escolha casou bem com a época e foi, sem dúvidas, uma ótima escolha.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Obrigado, Ricardo!!

      Aproveita o impulso ;) kkk

      Excluir
  3. Amei o clipe, e amei a música, que eu não conhecia, más agora não consigo parar de ouvir. ahua
    Jean vc sintetizou tudo muito bem na sua review.
    Abraço.
    Charles

    ResponderExcluir